No Vidago Palace Golf Course
Recorde de participação no Douro

E na sua 12.ª participação, a empresa espanhola Ignacio Gonzalés Montes, de conservas de pescado e marisco, conseguiu finalmente o apuramento para a Final Nacional Açores, juntando-se à vencedora Allianz, esta com um quarteto do Paredes Golfe Clube de três irmãos Mendes e um sobrinho/filho, incluindo o vice-presidente da Câmara Municipal de Paredes, Pedro Mendes. 

Serão as duas representantes da região Douro, em Novembro, na penúltima fase do Expresso BPI Golf Cup 2017, depois de no passado fim-de-semana se terem jogado as respectivas Qualificações Regionais, que contaram com 36 equipas no transmontano Vidago Palace Golf Course – aquele que será uma vez mais o palco, lá para Dezembro, da Finalíssima, para a qual se qualificam as quatro primeiras da Final Nacional. 

A elevada adesão de participantes levou a que no sábado houvesse dois shotguns, um de manhã, outro de tarde. O primeiro começou logo às 8h, com 19 equipas, para apurar metade mais a Lucky Loser (por sorteio) para as Meias-Finais de domingo, e teve como vencedora a Mundotextil, a maior empresa produtora de felpos da Europa, com 86 pontos na modalidade de texas scramble modificado. 

Com o segundo e terceiro lugares, foram ainda premiadas a A. S. Metais (Fabrico e Lacagem), com 85, e a Clínica Médico-Dentária de Arrabalde, de Chaves, com 84, seguindo-se, numa classificação muito segmentada, a Allianz 2 (83), Allianz 1 (82), Mercedes-Benz/MCoutinho (81), BPI 1 (81), NOS 1 (80), Hotel Solverde (80) e Restaurante Carvalho (80), de Chaves, este no limite do cut. BPI 2 foi o Lucky Loser. 

Violas

Manuel Violas, presidente do Grupo Solverde e da Unicer, jogou o Expresso BPI Golf Cup pela 20ª vez consecutiva / © Filipe Guerra

A prova da tarde arrancou pelas 14h30 com 17 equipas e teve o factor-vento em jogo, o que fez baixar significativamente os resultados – basta dizer que a Arquitectos/Marcages só precisou de 81 pontos para chegar ao topo. 

Este foi o dia em que actuaram as duas formações que atingiriam a Final Nacional, sendo a Ignacio Gonzalés Montes segunda com 80, tantos como a segunda equipa da Mundotextil, mas com um handicap mais baixo (aliás o mais baixo no conjunto destas Qualificações Regionais), o que prevalece em caso de desempate. Quanto à Allianz, com a sua terceira equipa, foi sexta classificada com 78 pontos. 

Apuraram-se ainda para a jornada de domingo o Restaurante Bataclan (79), Vidago Palace (79), Pavigarden (77), Bang & Olufsen Angola (76) e Clínica Oftalmológica Dr. Neves Martins, no limite do cut, com 75. E a Longa Bio, como Lucky Loser. 

Nas Meias-Finais, com 21 equipas em campo, a Allianz 3 abriu o livro melhorando 14 pontos em relação a sábado para um total de 92, o que lhe deu uma vantagem de 7 sobre a Ignacio Gonzalés Montes (85). A dupla Pedro Mendes/Diogo Mendes chegaram aos 48 e a outra, composta por Rui Mendes/Silvino Mendes, aos 44. 

“Sentimo-nos realizados, conseguimos os nossos objectivos, principalmente o de desfrutar do torneio, porque o golfe depois  acaba por trazer outras alegrias”, comentou o capitão da Allianz, Silvino, pai de Diogo e do jogador de golfe profissional Rui Morris Mendes. “Conseguimos sempre segurar os jogos uns dos outros, e nesta modalidade, se a equipa estiver bem, conseguem-se fazer grandes resultados”, acrescentou. 

A Ignacio Gonzalés Montes é constituída por jogadores do Real Club de Golf La Toja, em Pontevedra, na Galiza. Juan Gonzaléz, capitão de equipa e gerente da empresa espanhola, formou parelha com Eloy Calatayud somando 43 pontos, e do outro lado, com 44, estiveram Joaquin Calatayud (irmão de Eloy) com José Maria Fernandez. 

Inacio

A equipa da Ignacio Gonzalez Montes veio de Espanha para conseguir o apuramento para a Final dos Açores / © Filipe Guerra

“O primeiro dia já tinha corrido bem, os nossos dois pares fizeram bons resultados, mas no segundo ainda jogámos bastante melhor”, afirmou Juan Gonzaléz. “Claro que estamos muito contentes por ir à Final, mas o mais importante é conhecer campos novos e viver uma nova experiência, porque sabemos que com o nosso handicap será difícil ir à Finalíssima.” 

O terceiro lugar nas Meias-Finais pertenceu à Allianz 1, com 85 pontos, alinhando com  a mesma equipa que chegou à Finalíssima em 2014 e a uma nova Final Nacional em 2015, composta por Carlos Lima, Ricardo Cabral, Pedro Barroso e César Campos. No buraco 5, um par-4 complicado, contra o vento, Carlos Lima bateu uma madeira a 170 metros e a bola acabou por entrar para eagle depois de ter passado pelo bunker que antecede o green. 

Allianz

Equipa da Allianz, vencedora da meia-final do Douro: Rui Mendes, Silvino Mendes, Pedro Mendes e Diogo Mendes / © Filipe Guerra 

Allianz e Ignacio Gonzalés Montes juntam-se EDA e BPI na Final, estas apuradas via Açores. Entretanto já na quarta-feira realiza-se a sexta e última jornada das Qualificações Regionais Lisboa, no Belas Clube de Campo.