Meias-Finais Lisboa
Millennium BCP e Colégio dos Plátanos repetem

Depois de uma rentrée em força no Algarve, seguida de uma viagem ao Norte, foi a vez de Lisboa conhecer as suas representantes na Final Nacional Açores 2018, a realizar em Novembro no Batalha Golf Course, em Ponta Delgada.

 Com nada menos do que 69 equipas, as Meias-Finais da capital realizaram-se em três dias (11, 12 e 13 deste mês) no Belas Clube de Campo, para apurar as duas primeiras de cada jornada, num total de seis.

 Millennium BCP e Colégio dos Plátanos, primeiro e segundo classificados no primeiro dia, estiveram em evidência ao repetirem a presença de 2017 na penúltima fase da competição (a anteceder a Finalíssima).

 Com os mesmos elementos que na edição transacta, o Millennium BCP teve no par Noé Oliveira/Manuel Brigas, com 50 pontos, a sensação do dia. A completar a equipa, Carlos Ribeiro/Mário Afonso entregaram um cartão com 39, para um total de 89.

 “Foi uma coisa que acontece uma vez na vida, penso que não vai voltar a acontecer, fizemos cinco birdies e 2 bogey, tudo o resto pares. O que era para entrar, entrava, fizemos 26 putts, a diferença esteve aí”, explicou Noé Oliveira.

A equipa do Millennium BCP composta por Manuel Brigas, Noe Oliveira, Carlos Ribeiro e Mario Afonso  © Filipe Guerra 

Pelo Colégio dos Plátanos, ambas as suas duplas, compostas por Marco Rios/José Carlos Sousa e Nuno Rafael Mota/Nuno Silva, perfizeram 43 pontos, somando 86 colectivamente. A única diferença em relação ao ano passado é José Carlos Sousa entrou para o lugar do Eric Hill.

“Esta fase é a mais difícil, na outra passam tantas equipas que, mesmo não jogando bem, podemos qualificar-nos, agora aqui nas meias-finais tem de ser mesmo bem jogado, e encaixou bem, tivemos sorte”, disse Marco Rios.

Colegio dos Platanos - Nuno Silva, Marco Rios e Nuno Rafael Mota © Filipe Guerra 

O top-10 no dia 11 ficou completo com ESC Online (84), LPR (83), Informa D&B (82), Mercedes-Benz/CarClasse (79), SIC Notícias (79), Just For Men (79), FiberTex NonWovens (78) e SIC Caras (78).

No dia 12 foi por pouco que o Colégio dos Plátanos não colocou uma segunda equipa nos Açores, quando esta, com 87 pontos, ficou na terceira posição a um ponto do Celeiro do Móvel – e se tivesse havido um empate entre ambos, o desempate seria favorável ao Colégio pelo mais baixo handicap médio.

O primeiro lugar pertenceu à Maquinar Mais, com os mesmos 89 pontos dos vencedores da véspera. “Nós vamos no quarto ano de participação, e chegar à final era algo de muito desejado pelos quatro, acho que ficámos até um pouco sem saber o que fazer ou dizer uns aos outros de tanta alegria que estávamos a sentir”, afirmou João Carvalho, capitão de equipa e na gerência da Maquinar Mais.

 João Carvalho uniu forças com Vasco Alexandre e juntos fizeram pontos, Luís Martins e João Almeida juntaram 45.

Maquinar Mais a equipa vencedora do dia 12, aqui com Joao Almeida, Joao Carvalho, Luis Martins e Vasco Alexandre © Filipe Guerra 

Pelo Celeiro do Móvel, grande exibição do par Paulo Ribeiro/Artur Oliveira, com o melhor resultado net, 47, a que se acrescentou o 41 de Mário Laranjeiro/Fernando Soares.

 “Estavam 23 equipas em campo para passarem duas, era mesmo muito difícil, mas trabalhámos para isso, fomos treinar juntos a Belas na semana anterior, preparámo-nos, mas lá no momento nem nos apercebemos bem do feito alcançado, levou algum tempo a digerir”, afirmou o capitão e sócio-gerente do Celeiro do Móvel.  Mário Laranjeiro.

Celeiro do Movel a equipa 2ª classificada no dia 12 composta por Artur Oliveira, Mario Rui Laranjeiro, Paulo Ribeiro e Fernando Soares © Filipe Guerra 

Outras equipas em destaque no segundo dia de meias-finais foram o BPI 2 (85), FPG (85), Freixenet (82), CG Belas 2 (82), Allianz (81), Mona (80) e GetWash (80).

Finalmente, no dia 13, coube à Mercedes-Benz/Mercauto Loures e à Fine & Country (imobiliária para o mercado de luxo) carimbarem os passaportes para os Açores. A primeira conseguiu-o vencendo a jornada com 88 pontos, depois de dois terceiros lugares nas últimas duas meias-finais regionais, em 2016 e 2017.

“Eu diria que era o nosso grande objectivo de golfe para este ano, estar outra vez na final do Expresso BPI, principalmente para mim e para o meu irmão Diogo, que nascemos em S. Miguel mas nunca lá jogámos golfe”, afirmou Pedro Amaral, capitão e director de frota da Mercauto Loures, que jogou com o seu irmão somando 42 pontos. A outra dupla, constituída por João Ivo de Carvalho e Hugo Costeira, fez 46.

Os vencedores das meias finais de dia 13, a Mercedes Benz com Joao Ivo de Carvalho, Pedro Amaral, Diogo Amaral e Hugo Costeira  © Filipe Guerra

Pela Fine & Country (imobiliária), com 85 pontos, José Nuno Torgal/Alexandra  Corte-Real registaram 43 e Manuel Agrellos Jr./Nuno Castro 42. “É um orgulho para a empresa estar na final, apenas na nossa segunda participação. O ano passado já tínhamos ganho as Qualificações regionais, mas depois nas meias-finais não nos correu tão bem”, disse a capitã Alexandra Corte-Real.

Manuel Agrellos Jr. aqui em representação da equipa da Fine & Country que garatiu um lugar na Final Nacional na meia final do dia 13  © Filipe Guerra

No top-10 ficaram ainda o Grupo Desportivo Santander Totta (84), Expresso (83), Navigator MaxOne (83), Almabarão (82), Lizabita (82), Restaurante Duke (79), Vinicom (79) e CG Belas (78).